GET YOUR SHIT TOGETHER E A SOCIEDADE DA IRRITABILIDADE

quarta-feira, janeiro 27, 2016 Marcos H. de Oliveira 0 Comments


Aquele que castiga quando está irritado, não corrige, vinga-se. Michel de Montaigne 

Por diversos motivos (alguns deles até meio esotéricos como aspectos dos planetas no céu, se você acredita em Astrologia), o ano de 2016 e os próximos três anos até o final de 2019, prometem ser, no mínimo, desafiadores. Crise econômica mundial, crise política no Brasil e um panorama geral que faz a pessoa mais otimista do mundo forçar um sorriso amarelo e pensar com atenção na escolha das palavras que pode dizer para quem só enxerga o fundo do poço. Tá osso.

Levantar a moral, levantar para mais um dia de trabalho (ou busca por um emprego), engolir os sapos do aumento do custo de vida e afins, não está fácil. E neste cenário de oportunidades escondidas ou raras, eis que uma frase surge para dar alguma luz no fim de um túnel de pensamentos sombrios: Get Your Shit Together, meu amigo e amiga.


A frase é uma expressão coloquial americana que possui um significado bem diferente da tradução literal (representada pela primeira imagem no topo do artigo). "Get Your Shit Together" significa  se recompor, se reestruturar ou, em bom português: "Junta a sua m..." e volte ao seu estado normal e produtivo. É usada naquelas situações onde a gente precisa sair do buraco onde nos permitimos cair e um toque de alarme para os nossos sentidos.

Se você não juntar a sua "shit", ela pode acabar até sendo jogada no ventilador e se espalhar por aí (e de volta para você também). E tudo começa pela sua "shit" interior. E o que alimenta a "shit"? Nossa irritabilidade social e passiva. Repare quantas pessoas (além de você mesmo, talvez) já acordam irritadas com alguma coisa ou situação que nem conseguem explicar e você vai começar a entender o mico que está pagando toda vez que se transforma em um King Kong irado. 



Irritação sem motivo é coisa séria e tem até nome próprio: distimia, a doença do mau humor que pode pegar qualquer um pra Cristo, olha só:

A distimia é um tipo de depressão com sintomas leves ou moderados que persistem por pelo menos dois anos consecutivos. Atinge todas as faixas etárias, classes sociais e sexos. Em geral, começa no início da vida adulta", afirma o psiquiatra Ricardo Alberto Moreno, coordenador do Grupo de Doenças Afetivas (Gruda), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo. (http://revistavivasaude.uol.com.br - saiba mais aqui)

As chamadas "Doenças Afetivas" já fazem parte da vida cotidiana de muita gente que desconhece totalmente a própria condição. Por outro lado, fatores externos (como os citados no começo do artigo) podem criar um "piloto automático" para acordar e permanecer irritado durante muito tempo. E eu aposto que você conhece pelo menos uma pessoa assim. 

Doenças e medicamentos também podem causar raiva e mau humor (veja aqui), o que nos torna ainda mais responsáveis pelo nosso próprio cuidado para não estragar o bom humor dos outros. A coisa fica mais preta ainda por causa das Redes Sociais, onde mau humorados de plantão postam o que vier na cabeça e adoram compartilhar imagens e notícias baixo astral. Pô...

Em suma, a irritabilidade funciona quase como um vírus que contamina qualquer ambiente (real ou virtual) frequentado pelo infeliz. Get Your Shit Together, meu filho!!! Tá na hora de mudar esse cenário, não acham?


A irritabilidade é uma questão de causa e efeito. Portanto, o primeiro passo é descobrir o que te deixa irritado. Grupos de ajuda sugerem que a pessoa deve focar naquilo que pode mudar por si mesma, que não depende dos outros, do governo ou da condição financeira. Tudo começa por uma transformação no pensamento, na forma que a pessoa incorpora (e sente como efeito) determinada informação e situação. 

Vale a pena analisar se você somente absorve toda a informação que recebe dos outros e das Redes Sociais sem avaliar o que realmente importa para você ou se consegue separar o que precisa saber para se manter atualizado. O ideal é "deletar" o desespero intencional que costuma acompanhar as notícias que é, infelizmente, o modelo atual no jornalismo brasileiro dos últimos 10 anos. Tragédia vende, sabe? 

Um estudo também demonstrou que as pessoas escrevem mais nas Redes Sociais quando estão alteradas emocionalmente. Isso quer dizer que escrevem muita besteira e depois se arrependem.


Lidar com a irritação não é fácil pra ninguém. Somos um alvo certeiro porque vivemos em uma sociedade que consume tudo o que puder (inclusive os problemas dos outros). Mas começar por um "Bom Dia" para você mesmo e um pequeno lembrete de como deseja passar o seu dia (com bons pensamentos, atitudes educadas, etc) pode, aos poucos, desenvolver um condicionamento mental mais positivo e menos desesperador.  

Identificar os "vampiros emocionais" e os "Caçadores de Tragédias" também é uma boa estratégia. Fuja deles pra não virar um "Bob Esponja" da sofrência alheia.

Portanto, se o mar não está pra peixe, é hora de aprender a nadar. E no melhor estilo borboleta! Get your shit together e boa sorte sempre. Até!

 
CURTA E COMPARTILHE O AGE COM SEUS AMIGOS!!!

0 comentários: