A DAMA DA ÁGUA - PAUL GIAMATTI EM UMA FÁBULA MODERNA SOBRE A FÉ EM SI MESMO.

sábado, novembro 19, 2011 Marcos H. de Oliveira 0 Comments


Você conhece o diretor M. Night Shyamalan: ele renovou o suspense e a carreira de Bruce Willis no final dos anos 90 com o oscarizado O Sexto Sentido (1999) e Corpo Fechado (2000) e caiu em desgraça com O Último Mestre do Ar (2010), filme ruim que doí (update: na verdade, o diretor só tem colecionado fracassos de bilheteria como o mais recente, Depois da Terra de 2013).

Então por que eu iria te indicar A Dama Água (2006) que recebeu críticas como "Uma absurda história de suspense com cenários pouco convincentes, A Dama na Água é um filme pretensioso e bastante infantil - Rotten Tomatoes"?

Por vários motivos. O primeiro deles é a total falta de referência do mercado americano para filmes com história. Uma dura verdade é que o povo do Tio Sam só leva o Tico e o Teco para o cinema e não está nem um pouco interessado em pensar. Muito menos em uma fábula que o diretor adaptou de um conto de ninar que resgata a imaginação e a fé em si mesmo. E o diretor é indiano, né?


O segundo motivo é a presença de um ator que não se encaixa no "padrão de beleza" necessário para que o filme se tornasse um Blockbuster. Paul Giamatti é o cara perfeito para viver o homem comum na crise da meia-idade, não pra atrair adolescentes para o cinema.

No papel de zelador de um condomínio sem estrelas, o personagem de Paul, Cleveland Heep, convive com figuras humanas estranhas, quase mitológicas e aproveita para se esconder da própria vida e de um segredo que mudou seu destino. Ao encontrar uma misteriosa mulher na piscina, ganha uma nova oportunidade de redimir a si mesmo e todos os outros moradores.


Shyamalan exagerou um pouco ao colocar o nome da Ninfa de Story. Não precisava ser tão literal. Mas isso não tira o brilho do filme e a mesma mensagem que o diretor martela em todos os seus filmes: não seja tão "material", tão físico. Existem outros mundos por aí, outros planos de existência, existe imaginação, lendas e mistérios muito além do plano concreto onde você vive.

Acredito que se você der uma chance para A Dama da Água, vai se surpreender. É só lembrar que o filme é de 2006 e possui seu próprio ritmo. E, ao contrário do que muitos pensam, é um filme para o público adulto. Esqueça os críticos americanos e experimente.


Links:

Não perca os extras deste artigo na fan page
do AGE no Facebook! Curta agora!

0 comentários: