Escrito para o Cinema - Pussuídos - Denzel Washington correndo do diabo por Marcos H.

terça-feira, maio 10, 2011 Marcos H. de Oliveira 0 Comments

Um dos requisitos básicos para se tornar um astro em Hollywood é ter no currículo, um papinho com o diabo. Combater o "mal" diretamente e, se possível, vencer é carimbar o título de herói na carreira. Em Possuídos (Fallen, 1998, direção de Gregory Hoblit) é a vez de um Denzel Washington bem novinho enfrentar o coisa-ruim.

Ao conseguir capturar e levar um serial-killer para cadeira elétrica, o personagem policial de Denzel ganha um baita olho gordo. Os assassinatos se repetem e possuem a mesma "assinatura" do meliante. Mas ele foi executado, virou torrada. E agora? Agora, o assassino usa o corpo de qualquer um para cometer seus crimes. Caramba!

É legal assistir Possuídos porque aqui, o foco é no suspense e na possibilidade de que todos podemos ser maus. Esta maldade no filme é como um "vírus", um estado de espírito que altera o comportamento comum. Um resfriado pode fazer o diabo com o seu humor, por exemplo. Em Possuídos, basta um toque para que isso aconteça.

Na verdade, não estamos falando do diabo em pessoa, mas de pessoas enfrentando seus próprios demônios. Ninguém é inocente, afinal de contas. A tradução original do título é "Caído". Seja pelo orgulho, inveja, cobiça ou qualquer outro Pecado Capital, tudo mundo é obrigado a se olhar no espelho e enfrentar sua própria queda de conduta moral em algum momento. "O que aqui se faz, aqui se paga", diz o assassino para Denzel antes de ser executado. O pior, é que é verdade.

Mesmo com algumas "derrapadas" de roteiro, Possuídos é muito mais inteligente do que muitos filmes do gênero suspense-psicológico feitos atualmente e o resultado final compensa. Experimente ouvir "Time is on My Side" dos Rolling Stones depois de assisti-lo, sem se arrepiar. É por essas e outras que o Diabo é o Pai do Rock. Bom entretenimento!


Fontes:


Sobre o Autor:
Marcos H. de Oliveira Marcos H. de Oliveira é redator freelance de publicidade e propaganda e consumidor voraz de livros, música, cinema e arte. http://twitter.com/agentescreve

0 comentários: