Primeiro Som - O Silêncio falante de Arnaldo Antunes

quarta-feira, outubro 27, 2010 Marcos H. de Oliveira 0 Comments

O ex-integrante do grupo Titãs certamente teria muito o que dizer depois que saiu da banda para desenvolver seu trabalho solo. Arnaldo Antunes é um dos poetas das últimas gerações mais criativos que eu conheço.

Comecei a conhecer e me interessar pelas músicas dele ainda na época dos Titãs, mas confesso que gosto bem mais do seu trabalho autoral. 

Arnaldo, que é um poeta ultra-musical, consegue reunir poesia moderna, desconstrução, minimalismo e de quebra uma aula de língua portuguesa. 

Trouxe aqui a letra de O silêncio, que tem ao fundo uma trilha de percussão e cordas muito legal. Pessoalmente, adoro a música e todas do álbum que recebe o nome da música, O Silêncio, de 1996

É uma das músicas que tenho sempre no “negro gato”, um modo carinhoso de chamar meu BlakBerry. Por isso, ouço sempre. Apesar de se chamar silêncio, é uma letra bem alegre e um pouco barulhenta, no bom sentido, é claro.

A letra é uma sequência. Desconstruída e novamente construída pelo letrista, leva você  a pensar naturalmente sobre o silêncio, sem muito esforço. 

Arnaldo, com seus exemplos simples e corriqueiros nos faz pensar no óbvio em suas músicas, algo que nem sempre estamos acostumados a fazer.

E é pelas sinestesias da composição, que o ouvinte vai associando coisas bem interessantes sobre ele, o silêncio, seja a falta ou a presença dele.

A melodia é fácil, apesar de virar um rock bem dançante. O coro das crianças no refrão também dá uma leveza à música e provou que é para todas as idades. Recomendo que ouçam, em silêncio ou não.

Obs.:O cara não escreve só letras de música, ele escreve textos e poesias superbacanas. Vale a conferida depois em www.arnaldoantunes.com.br.


ARNALDO ANTUNES - O SILÊNCIO - 1996


antes de existir computador existia tevê
antes de existir tevê existia luz elétrica
antes de existir luz elétrica existia bicicleta
antes de existir bicicleta existia enciclopédia
antes de existir enciclopédia existia alfabeto
antes de existir alfabeto existia a voz
antes de existir a voz existia o silêncio
o silêncio
foi a primeira coisa que existiu
um silêncio que ninguém ouviu
astro pelo céu em movimento
e o som do gelo derretendo
o barulho do cabelo em crescimento
e a música do vento
e a matéria em decomposição
a barriga digerindo o pão
explosão de semente sob o chão
diamante nascendo do carvão
homem pedra planta bicho flor
luz elétrica tevê computador
batedeira, liquidificador
vamos ouvir esse silêncio meu amor
amplificado no amplificador
do estetoscópio do doutor
no lado esquerdo do peito, esse tambor

0 comentários: