O VELHO E O MAR - A LEITURA SAGRADA DE HEMINGWAY.

domingo, fevereiro 15, 2015 Marcos H. de Oliveira 0 Comments


"A obra clássica é um livro que todo mundo admira, mas que ninguém lê." - Ernest Hemingway (1899-1961)

"Tudo o que nele existia era velho, com exceção dos olhos que eram da cor do mar, alegres e indomáveis." (O Velho e o Mar, 1951). Uau. Eu poderia escrever todo este artigo com trechos retirados das obras de Ernest Hemingway, sua coleção de pensamentos inspiradores e meu trabalho estaria feito. A questão não é se alguns autores merecem ser lidos mas se estamos preparados para lê-los. Não conheço nada tão acessível e democrático quanto um livro. Porém, acredito que algumas histórias pedem um pouco mais da nossa atenção e vivência para se tornarem inesquecíveis e clássicas.


Vamos esquecer por um momento que O Velho e o Mar ganhou o Prêmio Nobel de Literatura de 1954 e nos concentrar na figura de um velho pescador que está passando por uma "maré de azar" (sem trocadilhos) e não pesca a mais de 80 dias. Santiago é um personagem tão comum e complexo em seu respeito pelo mar e os peixes, tão quebrado pelo destino e a idade que é quase inevitável não pensarmos na nossa ancestralidade paterna, nossos pais, tios e avós. Hemingway vai buscar no inconsciente coletivo, aquelas imagens do herói que não sabe que é herói e, talvez, nunca descubra por causa da pureza quase infantil de suas intenções. Não é incomum encontrar na Literatura estes personagens que iniciam sua jornada com um desafio, por acidente ou perda para renascerem depois, na sequência de tentativas e erros que é a vida (veja o artigo de Joseph Campbell aqui no AGE).

 "Herói é uma figura arquetípica que reúne em si os atributos necessários para superar de forma excepcional um determinado problema de dimensão épica." - Wikipédia

Gostaria realmente de fugir da crítica literária mais tradicional (você pode encontrar algumas ótimas na internet) para focar nas relações simbólicas mar/mulher, homem/peixe, menino/futuro. Dê atenção a elas porque, para muita gente, os Clássicos da Literatura são considerados uma leitura velha, de palavras difíceis e antiquadas. Com isso, perdem a chance de experimentar emoções que só os grandes escritores podem proporcionar. 

O Velho e o Mar é um conto atual e moderno de perseverança, conquista, tragédia e respeito pela própria existência. É um manuscrito de valorização à vida que se vive, seja ela qual for. Nestes tempos onde a depressão e a solidão fazem parte das doenças contemporâneas, o personagem de Santiago pode ensinar muito mais do que um desses livros de auto-ajuda ou de marketing (sim, marketing).

Santiago é um empreendedor motivado pelo único dom que sabe que possui, o de pescar. Seu amor pelos animais e o respeito pela natureza das coisas, o colocam entre um dos mais nobres personagens da literatura universal (como Don Quixote, por exemplo). Seus sonhos com savanas africanas, leões e o mar revolto são a chave para entender o espírito que molda o interior de um homem que não aceita a derrota sem luta. Ele simplesmente, não desiste. É admirável. 


"É um grande peixe, e tenho de o convencer, pensou. Não devo deixá-lo nunca tomar conhecimento da sua própria força, nem do que poderia fazer se corresse. Se eu estivesse no lugar dele, jogava o tudo por tudo, até que alguma coisa rebentasse. Mas, graças a Deus, não são tão inteligentes como nós, que os matamos, embora sejam mais nobres e mais capazes"
Não posso deixar de citar a primorosa interpretação de Spencer Tracy como Santiago, no filme homônimo de 1958. É um ator das antigas que carrega uma dignidade exemplar em cena. Filme é filme e livro é livro mas vale a pena assistir. O Velho e o Mar é um daqueles livros para dar de presente ao pai, ao irmão, ao filho adolescente, ao amigo ou qualquer pessoa que tenha se esquecido do seu lado heróico e batalhador, que só esteja vendo um mar que não está para peixe. Talvez essa pessoa seja você. Fica a dica. Até a próxima.

PS.: Não houve espaço para fazer a comparação com alguns livros de Jorge Amado e a vila de pescadores. Mas você pode fazer, ok? :)

0 comentários: