Ouça Esta Letra - Resposta ao tempo de Nana Caymmi por Maryjane Oliveira

segunda-feira, janeiro 31, 2011 Marcos H. de Oliveira 1 Comments

Cantada por uma das mais belas vozes da MPB, esta canção mostra quão pode ser a noção de cada um sobre esse implacável elemento cósmico, o tempo. Nas entrelinhas do tempo e dos fatos,  a composição traceja uma série de confissões e declarações capazes de revelar que o tempo está em tudo. Afinal, só o tempo faz tudo estar a qualquer segundo ou eternidade, não é mesmo?

Respeito, afrontas, fraqueza e coragem. Escolhas ou simples acontecimentos? É, diante do mensageiro dos instantes, é bem provável que sejamos esmagados pela virtude ou tragédia tecida pelos seus fios, e as vidas, essas pequenas pedras nas quais ele rola em ritmo próprio, bem que dariam um bom esboço do que fazemos com os acasos que temos pela frente.
Inimigo inquisidor e injusto? Aliado fiel e compreensivo? Altruísta ou libertador? São tantos julgamentos... coitado do tempo. Já ouviram aquela expressão "Cada um tem seu tempo"? Certamente, bem usada por aí. Assim como as frutas das árvores, estamos ou não “no tempo”. E tem tempo para tudo: Prá isso, para aquilo, prá mim, você, pra mudar, deixar de ser, crescer, aparecer, merecer, adoecer…vixe, quanto tempo pra tudo.
“No fundo é uma eterna criança..que não soube amadurecer...eu posso e ele não vai poder me esquecer”...
O negócio é que quanto mais falamos, reclamamos, pedimos, ansiamos ou esperamos, mais próximos estaremos das vicissitudes inesperadas e dadivosas do tempo. É pelas vias do tempo que se é possível preparar-se para um grande amor, recordar uma canção doce ao pé do ouvido, ou até mesmo embalar-se numa rede vagarosa à beira-mar quando a maresia, orquestrada pelos ventos do tempo nos traga algum perfume que ficou para trás, um cheiro ou sabor especial de alguém que se foi ou que virá... Quem sabe? Novamente, só o tempo irá dizer. 
Amar pela segunda, terceira, quarta vez? quem sabe? acredito também que só com o passar do tempo nos daremos esse direito ou talvez… não. De qualquer forma, ele precisa passar por nós, pelas nossas vidas e pelas escolhas que constroem os caminhos. Nesta canção, o autor deixa claro a lucidez de todo seu manifesto, carregado de doses extremadas de puro romantismo, num embate heroico e comovente pela vida, uma verdadeira declaração de amor ao tempo.
Resposta ao tempo 


Composição: Aldir Blanc/Cristovão Bastos
Interprete: Nana Caymmi

Batidas na porta da frente é o tempo
Eu bebo um pouquinho pra ter argumento
Mas fico sem jeito, calado, ele ri
Ele zomba do quanto eu chorei
Porque sabe passar e eu não sei
Um dia azul de verão, sinto o vento
Há folhas no meu coração é o tempo
Recordo um amor que perdi, ele ri
Diz que somos iguais, se eu notei
Pois não sabe ficar e eu também não sei
E gira em volta de mim, sussurra que apaga os caminhos
Que amores terminam no escuro sozinhos
Respondo que ele aprisiona, eu liberto
Que ele adormece as paixões, eu desperto
E o tempo se rói com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor pra tentar reviver
No fundo é uma eterna criança
que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder me esquecer
No fundo é uma eterna criança
que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder me esquecer


Sobre o Autor:
Maryjane Oliveira Maryjane Aleluia Oliveira, 26 anos é graduada em Comunicação Social. Atua em ações de Marketing e Redação publicitária em Salvador e grupos de estudos em Comunicação e Cultura contemporânea. Blog: http://quitepas.blogspot.com

1 comentários:

Anônimo disse...

Sublime olhar sobre essa belíssima canção de NANA.
Parabéns!
Att.:J. Marques