MANDINGA - A BOA SORTE DA CONSCIÊNCIA.

segunda-feira, dezembro 17, 2012 Marcos H. de Oliveira 0 Comments


Todo mundo sabe que o Brasil é um dos países de maior multiplicidade cultural no mundo. Somos pretos, brancos, vermelhos, amarelos, desbotados e branquelos.  Somos cristãos, umbandistas, crentes, budistas, corintianos e ateus. Somos um povo simpático e rezador, xingamos no trânsito e abrimos a porta para alguém passar. Oramos para Nossa Senhora e pulamos 7 ondinhas para Yemanjá trazer sorte na passagem do ano. Somos únicos, verdadeiros e iguais nas nossas diferenças.

O brasileiro talvez seja o povo mais “gente” que eu conheço. Como disse Roberto Freire: “Isso de a gente querer ser exatamente o que a gente é, ainda vai nos levar além.”

Mas tem uma coisa que a grande maioria dos brasileiros, principalmente nos rituais de passagem como a Páscoa, o Natal e o Ano Novo, não cuida: sua própria energia. Uma das definições de energia pode ser “aquilo que gera movimento” ou “força motora canalizada” e “mesmo capacidade para executar trabalho ou realizar uma ação”. Como a origem da palavra energia vem do grego e quer dizer trabalho, fica fácil perceber que usar energia é fazer algum esforço e, por causa disso, gastar algo que temos. Gastamos energia indo atrás de novas energias em um processo contínuo de renovação.

Renovação é uma palavra-chave em rituais de passagem.  Um ritual é feito para que os envolvidos entendam a mudança, a passagem de um estado para outro como da tristeza para alegria, por exemplo. Não se trata apenas de um momento na história, uma data para ser lembrada por seu valor geral. Um ritual serve para marcar a sua consciência de que algo mudou para você. O ritual é geral. A passagem é sua, certo?

E, afinal, onde entra a Mandinga nisso?

Para o brasileiro comum, Mandinga pode ser entendido como parte das superstições tupiniquins como não passar debaixo de escada, usar medalhinha que o padre benzeu ou pedir marido para Santo Antônio. É claro que a Mandinga também é negativamente associada ao feitiço, magia do bem e do mal, etc. porque a palavra é de origem africana (saiba mais no link abaixo) e muito usada em trabalhos de Umbanda e Candomblé. Você mesmo faz Mandinga ao se benzer três vezes quando passa por uma igreja, escolher aquela cor de gravata para entrevista ou o vestido para Formatura. O brasileiro é um “mandingueiro” por excelência. E adora um ritual.

Chegou a hora de somar tudo isso: energia, ritual de passagem e Mandinga. Quero deixar claro que nada disso tem conotação religiosa ou moralista. A palavra religião quer dizer re-ligação (do latim: "religio", "prestar culto a uma divindade", “ligar novamente", ou simplesmente "religar") e a minha proposta é você “se ligar” em você e na sua energia, seja qual for a sua crença.

Rituais coletivos são os maiores inimigos da energia pessoal porque a necessidade de participação faz com que a pessoa reduza a sua individualidade para não se sentir excluída. Ela perde “poder pessoal” e não consegue dizer “não” para determinadas ações de grupo. Neste momento, ela “mexe com quem está quieto” e acaba se dando mal.

Descubra o que serve para você e não para os seus desejos. Tomar champanhe é legal. Ter a sua cabeça lavada por champanhe ou qualquer outra bebida alcoolica, não é. Você sabe do que estou falando. Curtir uma praia ou cachoeira é legal. Encontrar uma praia imunda depois de uma comemoração (onde pessoas irritadas pela sujeira vão ter que limpar) também não é. Os mesmos que twittam reclamando da falta de cuidado dos governantes com a Natureza, detonam tudo na passagem do ano. Isso é hipocrisia, é um ritual de “depredagem” e não de Passagem.

Pensando em um dos rituais afro mais tradicionais do Brasil, as oferendas para Yemanjá, eu me pergunto: o que uma santa (ou Orisha) pode achar ao ver uma praia suja e um mar cheio de garrafas e flores boiando com um monte de gente bêbada (algumas até mesmo drogadas), dançando alucinadamente? Qual seria a “qualidade” da energia que você estaria mandando? E qual iria receber?

Deixo a resposta para você, para “gente que realmente é”. Abaixo, um vídeo com uma matéria bem legal sobre mandingas ou simpatias (é de 2011 mas serve para todo final de ano) e outro que fala sobre previsões gerais. Desejo sorte e prosperidade para todos os leitores do AGE e seus rituais. Boas festas e te encontro por aqui em 2013.

Referências:

 
Não perca os extras deste artigo na fan page
do AGE no Facebook! Curta agora!

0 comentários: