SOBRE FANTASMAS E DEMÔNIOS NO DESENVOLVIMENTO DA VIDA

terça-feira, novembro 24, 2015 Marcos H. de Oliveira 0 Comments


Talvez, mais tarde, haja alguma inteligência que reduza o meu fantasma a algo comum — uma inteligência mais serena, mais lógica e muito menos excitável do que a minha, que perceba, nas circunstâncias a que me refiro com terror, nada mais do que uma sucessão comum de causas e efeitos muito naturais.
Edgar Allan Poe
Tenho alguma experiência com fantasmas e demônios que, no momento, não cabe contar aqui. Longe dos efeitos especiais do cinema e dos filmes de terror, fantasmas são chatos e demônios são mais aborrecidos ainda. Fantasmas são como restos de um espírito que já teve carne e osso algum dia e aquela transparência toda serve para demonstrar como não estão mais presentes e atuantes no que costumavam chamar de vida.

Suas correntes (um clichê do gênero) são as lembranças da existência que viveu e a dor saudosista que fica girando em torno dos acontecimentos passados, amores perdidos e oportunidades desperdiçadas. Eles adoram aparecer antes de você dormir ou durante um sono bom. São chatos, muito chatos.


Não menos inconvenientes, os demônios curtem se aproximar quando os desejos de um indivíduo e suas escolhas estão na encruzilhada. O lance dos demônios é colocar em jogo aquilo que você acredita ou não. Esqueça a dualidade do Bem versus o Mal, da batalha de Deus contra o Diabo que não é por aí. O plano deles é bem mais simples: colocar você em dúvida e questionar suas habilidades de escolha.

No Japão e nos países árabes, por exemplo, os Demônios são mais conhecidos por Djinns, gênios que moram no alto das montanhas e descem, de vez em quando, para pregar peças nos seres humanos mas permitem que a escolha final (livre-arbítrio) seja deles. Algo semelhante acontece com os Tricksters, seres sobrenaturais que podem assumir a forma humana ou animal (como uma raposa ou um corvo dos contos nativo-americanos) para testar os valores pessoais de cada um. 

Mas você deve conhecer todos eles por seus nomes mais comuns: passado e consciência. 


Fora do mundo sobrenatural, dos mitos e lendas, a realidade concreta e tangível do mundo em que vivemos exerce sua gravidade nas causas e efeitos do cotidiano. Questões bem palpáveis como custo de vida, amores e dramas familiares sussurram seus desgostos em plena luz do dia, antes do primeiro café da manhã e no almoço de domingo. Pessoas diferentes atraem energias diferentes e algumas atraem tudo que puderem. 

Existem aquelas que arrastam as correntes de um passado onde eram mais felizes e não sabiam e o presente lhes parece sem horizonte e o futuro permanece incerto (que é o certo, já que não pode ser previsto, apenas imaginado). Com a idade, os fantasmas das escolhas da juventude aparecem para coletar os resultados do caminho percorrido onde a conciliação com o que se foi e o que se é representam o grande desafio para expulsar esses fantasmas.


Fantasmas abrem as portas para os demônios, sempre. Sem a consciência do presente e principalmente do estar presente na vida que se tem, a pessoa entra no processo da causa (passado) e efeito (desassociação) que essa encruzilhada proporciona.

Nesse Limbo ou Meio do Caminho (que é bem diferente do conceito de Caminho do Meio), todos os tipos de demônios e gênios aparecem para (e isso é um detalhe importante) ensinar ou castigar o sujeito com a sua própria consciência julgadora. O veredito final é sempre da pessoa e o destino futuro vai funcionar de acordo com o caminho escolhido.

Fantasmas e demônios (passado e consciência) podem ser muito persuasivos e tentadores mas não podem ditar nossas escolhas. Mesmo assim, existe o perigo real de não conseguir escapar do medo da mudança e do grau de responsabilidades que devem ser assumidas para transformação. O resultado é uma vida assombrada e lamuriosa, uma possessão voluntária pelos desejos ilusórios e as tentações infinitas do mundo que nos cerca. Em outras palavras, uma alma penada. Ô, dó!


Poetas, escritores e artistas de todos os tipos podem ajudar a banir para sempre estes espectros (aqueles infernais livros de autoajuda, atraem mais, fique sabendo) porque todas as artes são formas de exorcismo. Meditação e o cultivo de uma espiritualidade consciente (que é diferente de Religião) também podem fazem maravilhas por você e representam um primeiro passo para fora da encruzilhada.

Fantasmas e Demônios não chegam perto de pessoas que sabem o que são, quem são e que permanecem no seu Agora, no presente momento, despertos e cientes de suas capacidades e escolhas (seja para o bem ou para o mal). Você pode até não acreditar (ainda), mas o Poder é seu e sempre foi.

E nem precisa de sal grosso ou chamar um padre. Calma e prudência podem fazer milagres por você. Basta entender que é um processo em andamento, que necessita de tempo para ser concluído, ok?

Por último, é sempre bom lembrar que existem muitas pessoas por aí, dispostas a ajudar no caso do seu Gasparzinho ser muito insistente ou aquele Pobre Diabo ficar pegando no seu pé. 

Xô, encostos e até a próxima!

CURTA E COMPARTILHE O AGE NAS SUAS REDES SOCIAIS!!!

0 comentários: