Editorial - A Ciência dos Espertinhos - Descubra os detetives mais pop da Tv por Marcos H.

segunda-feira, maio 02, 2011 Marcos H. de Oliveira 0 Comments

Sabe quem é Anthony E. Zuiker? O culpado por você achar que pode ser detetive durante 1 hora em frente a Tv. Zuiker é o criador de CSI: Crime Scene Investigation que, ao ser lançada em 2000, estabeleceu um novo padrão para séries policiais em todo mundo. Onze anos depois, dezenas de "espertinhos" aparecem todos os dias na sua casa com algum crime ou doença misteriosa para você resolver. 

Na verdade, seja por meio da ciência (como em CSI ou House) ou pela astucia (como em The Mentalist e Lie To Me), a coisa não funciona bem assim. Diagnósticos podem levar meses e a analise de provas técnicas (trabalho do perito criminal, forense) se arrastam por anos. O prazer destas séries é colocar o espectador em contato com a sua própria capacidade de dedução. E capacidade de dedução estimula a criatividade, a intuição e a imaginação na sua vida e no seu trabalho (mesmo que você não seja, digamos, um Sherlock Holmes).

Separei uma lista dos "novos detetives" e outros mais veteranos que somam entretenimento com informação para os dois lados do seu cérebro (esquerdo - pensamento lógico, direito -  pensamento criativo). Sua cabeça agradece. Até a próxima!

HOUSE M.D. (Record, Universal)
Criado por David Shore em 2004, não tem muito o que acrescentar porque é um sucesso de público e crítica. Mas você pode ler A Ciência Médica de House - a Verdade Por Trás dos Diagnósticos da Série de Andrew Holtz (Editora Best Seller) para gostar ainda mais do Dr. Gregory House. Veja o teste de elenco do genial Hugh Laurie para o papel que o tornaria conhecido em todo mundo:
LIE TO ME (Globo, Fox)
Criado por Samuel Baum em 2009, tem como base criativa os estudos do Dr. Paul Ekman sobre as emoções e a linguagem corporal. Para nossa sorte, o excelente ator Tin Roth (mais conhecido pelo filme Hulk) estava disponivel para interpretar o Dr. Cal Lightman, um especialista em detectar mentiras logo de cara (desculpem pelo trocadilho, não resisti). 
THE MENTALIST (SBT, Warner)
Criado por Bruno Heller, foi a maior estreia de 2008 do canal CBS (15,6 milhões de telespectadores). Diferente de House e Lightmam, Patrick Jane (interpretado pelo, antes obscuro, Simon Baker) tem um motivo mais determinante: caçar o assassino-serial  que matou sua família, chamado "Red John". Além dos cachinhos dourados de Baker, temos a bela Amanda Righetti para subir a audiência.
ENDGAME (Showcase)
Criado por Avrum Jacobson esta novissima série canadense promete. O russo Arkady Balagan é um dos maiores jogadores de xadrez do mundo que enfrenta uma aposentadora forçada: traumatizado por ver sua esposa morrer em uma explosão, ele não consegue sair do hotel onde estava hospedado. Agorafóbio, sem dinheiro, resta desvendar os crimes dali mesmo, usando sua mente estrategista (e cobrando por isso). Balagan tem uma arrogancia e frieza semelhantes a de House. O ator Shawn Doyle é um rosto relativamente novo na Tv (participou de Lost e Big Love). Destaque para o jeito divertido de mostrar como Balagan pensa e resolve os crimes.
SHERLOCK (BBC One)
É claro que o maior detetive de todos os tempos não poderia ficar fora da Tv. Criada em 2010 por Steven Moffat (que já fez uma repaginação bem legal de O Médico e o Monstro na série Jekyll em 2006) e Mark Gatiss (escritor do novo Doctor Who junto com Moffat), temos um Sherlock nos dias atuais que usa GPS e celular para resolver seus crimes. Irritante como todos os outros "espertinhos" deste artigo, Sherlock adora chamar todo mundo de idiota e incompetente. As piadinhas sobre sua "parceria" com Watson também estão presentes. Com uma segunda temporada prometida ainda para este ano, vale a pena conferir os três episódios já lançados. Elementar, meu caro Watson.
LUTHER (BBC ONE)
Bom, esta série criada por Neil Cross em 2010 teve apenas seis episódios e não se encaixa exatamente no perfil das demais, só que é tão bem feita que merece uma olhada. John Luther (personagem do "agora conhecido" Idris Elba) é o Chefe dos Detetives da divisão de Crimes Hediondos de Londres. Em processo de reconciliação com a ex-mulher, Luther tem que desvendar uma série de crimes perpetuados por um (ou uma) serial-killer. De pavio curto, ele já enfrenta uma desconfiança do departamento por ter colocado um assassino em coma. A série é perfeita, desde a entrada até a escolha da trilha sonora e um roteiro super inteligente. Imperdivel.


Fontes:

Agradecimentos especiais ao site VM Series. Se eu fosse você, passaria por lá :) 

Sobre o Autor:
Marcos H. de Oliveira Marcos H. de Oliveira é redator freelance de publicidade e propaganda e consumidor voraz de livros, música, cinema e arte. http://twitter.com/agentescreve

0 comentários: