12 CONTOS - MAIO

quarta-feira, maio 18, 2011 Marcos H. de Oliveira 1 Comments


Bealtaine* olhou para o céu escuro da noite. Cada estrela parecia mais brilhante agora do que minutos antes. Instantes são momentos no tempo, rápidos e fugitivos. Perca um instante e você perdeu um destino. Pode ser um olhar na mesa ao lado ou o ponto cego que não percebe um carro cruzando o farol vermelho, vindo em sua direção. Um instante e sua vida muda. Um instante e nada muda. Bealtaine nunca parou para pensar nisso. Pelo menos, não assim.

Na verdade, nada mudou de pronto. Não se sentia "diferente" como dizem. Não se via como alguém mais leve ou carregando um brilho especial, irradiante. Ela tocou levemente no ponto de mudança, como se esperasse uma resposta imediata, um sinal de existência mínima, uma semente de possibilidade. Nada. Sua única prova era um papel timbrado com apenas uma palavra. Uma palavra pode ser um instante. E um instante pode mudar sua vida. Novamente. E de novo e de novo.

Na praia de areias brancas como espuma, as pessoas continuavam festejando em torno da fogueira improvisada. As bebidas coloridas, as frutas e os colares de flores, tudo permanecia igual. Ninguém sabia o que só Bealtaine sabia. Entretanto, seu segredo realmente não passava de um embuste, já que não demoraria muito para virar conversa, fofoca e até mesmo debates inúteis sobre educação e conduta moral. E ela sorriu para si mesma ao imaginar-se como alvo de tanta mediocridade. 

O ar fresco vindo do Norte abraçou a menina na forma de uma brisa. A fogueira tremulou e também aceitou o carinho. O vestido enfeitado de flores de Bealtaine dançou suavemente entre suas pernas e ela aceitou o convite de sua nova natureza.

Dançou em volta da fogueira com passinhos saltitantes, vento, água e fogo em um movimento perfeito. Um pensamento breve, de como contar para seus pais que seriam avós, passou por sua cabeça e foi levado pelo mar. Não era hora disso. Agora, neste instante, o momento era de ser feliz.   

Novamente. E de novo e de novo.

* Beltane (pronuncia-Bawl tuh nuh) ou Bealtaine era uma festa celta antiga, mais comumente associada com o sol. Literalmente, Beltane significa "fogo brilhante", embora alguns historiadores irlandeses associam o nome com o deus Bel, que era provavelmente uma versão do antigo deus celta do fogo e da luz, Belenos. Bealtaine também quer dizer maio na língua irlandesa. Veja Deities & Myths of Bealtaine: http://bit.ly/jtfZME

Maio - é o quinto mês do calendário gregoriano e tem 31 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Bona Dea da fertilidade. Outras versões apontam que a origem se deve à deusa grega Maya, mãe de Hermes. Sob o Antigo Regime francês, era de costume plantar um " Maio " ou " árvore de Maio " na honra de alguém. No Condado de Nice moças e rapazes « giravam Maio » ao som de pífano e tambor, ou seja dançar as rondas de Maio ao redor da árvore de Maio. Maio é o mês de Maria, mãe de Jesus Cristo, segundo a Igreja Católica. http://pt.wikipedia.org/wiki/Maio

Bona Dea ("a Boa Deusa") é uma deusa romana da fertilidade e virgindade, especialmente venerada pelas matronas romanas. Filha do deus Faunus, é muitas vezes chamada de Fauna. Ela também era uma deusa da cura e era retratada sentada num trono, segurando uma cornucópia. A cobra é seu atributo, um símbolo de cura, e serpentes foram mantidas em seu templo em Roma, indicando a sua natureza fálica. Sua imagem podia ser frequentemente encontrada em moedas. http://pt.wikipedia.org/wiki/Bona_Dea

Agradecimento especial para Andréa Costa que compartilhou a foto original para ilustração deste conto. Valeu Andréa!

1 comentários:

Sarinha disse...

12 mulheres sedutoras... ^^