Paulo Freire, O Alquimista das Palavras.

segunda-feira, fevereiro 14, 2011 Marcos H. de Oliveira 2 Comments

Dizem os sábios que, quando você estiver pronto, um mestre aparecerá para indicar o caminho. Para grande maioria dos educadores, poetas, filósofos, escritores e contadores de histórias, Paulo Freire é este mestre. É uma pena que nosso sistema educacional ainda seja tão jurássico a ponto de não perceber que Paulo Freire deveria ser matéria obrigatória de estudo e aprendizado. Isso mesmo. Assim como a Matemática e a História, os estudantes deveriam dizer: "Não posso sair agora, estou estudando Paulo Freire."

Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade.

Olha, o espaço aqui é pequeno para grandeza deste mestre e eu acabaria por chover no molhado ao repetir biografia e fatos. Meu objetivo é fornecer um Farol, um ponto de acesso rápido para que você se encontre com Paulo Freire todos os dias, uma vez por semana ou quando quiser. E, acredite, você vai querer.

Ai daqueles que pararem com sua capacidade de sonhar, de invejar sua coragem de anunciar e denunciar. Ai daqueles que, em lugar de visitar de vez em quando o amanha pelo profundo engajamento com o hoje, com o aqui e o agora, se atrelarem a um passado de exploração e de rotina.

E quando isso acontecer, você vai perceber que aquelas frases de efeito bonitinhas que as pessoas colocam no Twitter, MSN ou Orkut são meio tolinhas e você precisa de algo mais. Mestres trazem consciência e transformação, trazem alquimia e conflito. Paulo Freire dedicou sua vida ao amadurecimento amoroso do ser humano. A matriz de toda sua obra é o amor pela singularidade do Homem. Amor é educação, Amor é política, conflito e indignação. Amor é singularidade porque ninguém ama igual. Amor é química, é corpo e poesia. Quem ama sempre se acha poeta.

Conhecer é tarefa de sujeitos, não de objetos. E é como sujeito e somente enquanto sujeito, que o homem pode realmente conhecer.

Se você tem dificuldade como estudante para começar uma redação, por exemplo, leia Paulo Freire. Após alguns minutos, você vai perceber que foi 'contaminado' pela amorosidade do poeta. Escritores profissionais usam esse truque simples para capturar a imaginação: copiam o inicio do livro que mais gostam ou uma frase de seu poeta/escritor preferido. Depois que as ideias fluem, eles apagam a frase. Experimente.

Deixo vocês com esse gostinho de conhecer o 'sujeito' Paulo Freire para que o 'sujeito' em vocês se transforme em verbo, em ação, em palavras, muitas palavras. Boa sorte, alquimistas.

Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão.

Links Legais

http://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Freire
Carta de Paulo Freire aos professores 
Obras do educador Paulo Freire


Sobre o Autor:
Marcos H. de Oliveira Marcos H. de Oliveira é redator freelance de publicidade e propaganda e consumidor voraz de livros, música, cinema e arte. http://twitter.com/agentescreve

2 comentários:

helena. disse...

"E quando isso acontecer, você vai perceber que aquelas frases de efeito bonitinhas que as pessoas colocam no Twitter, MSN ou Orkut são meio tolinhas e você precisa de algo mais." - Genial.

Não conheço muito de Paulo Freire mas, agora, procurarei conhecer.

Adorei a dica da cópia do livro que mais gosta, vou usá-la!

um livro importante! o texto é de instigar o leitor, viu, massa!