Guerra e Paz de Lev Tolstoy.

quarta-feira, novembro 03, 2010 Marcos H. de Oliveira 0 Comments


Desta vez, estou aqui para falar de um das obras mais interessantes deste professor, cientista político, poeta e escritor russo, Tolstói. 

Guerra e Paz é um livro que brilhantemente retrata as últimas tentativas de conquista do imperador francês Napoleão Bonaparte. Foi durante o início do século XIX, no período que compreendeu os anos de 1805 a 1820. Nesta época, ocorreram as invasões napoleônicas no território russo, palco de um dos maiores confrontos mal sucedidos da história de guerras mundiais.

A história é emocionante: É possível se sentir como num jogo de xadrez que nunca acaba. O adversário parece ter poderes sobrenaturais, e isso parece sobrepujar a estratégia traçada. 

Neste contexto, Tolstói tece uma trama do jogo político e as disputas de poder dotado de um anti-heroísmo singular, sendo este o atributo marcante e instigante deste épico das histórias de guerras. Este anti-heroísmo é dissecado e descrito minuciosamente, através das errôneas tentativas e estratégias de avanço das tropas, os erros e intrigas, tudo sob uma perspectiva do mundo particular. Guerra e Paz descortina as fraquezas dos mitos heróicos invencíveis, sendo o imperador francês um dos grandes desmascarados da trama. 

Os personagens estão plenamente imersos em questões existenciais e de cunho psicológico, e por vezes filosófico. Ao mesmo tempo estão envoltos pelas carapaças sociais e pelas convenções familiares da corte. Sendo assim, o potencial humano da obra desbanca o estilo heroico e mítico, típico das histórias de guerra, e retrata um mundo refém das paixões, vaidades, inveja, amor e ódio.

A dica é ficar atento às duas mais importantes famílias: Os Rostov e Bolkonski, que na verdade são os nomes fictícios das famílias do autor: as famílias Tolstói e Volkonski. Esse é outro ponto interessante, pois a história conta fatos que o próprio autor vivenciou durante anos de sua vida, tendo como exemplo os personagens Piotr e Natacha Rostov, que foram inspirados por vivências pessoais de Tólstoi e seus parentes, mas nem por isso a obra perde quanto à sua qualidade documental, sendo, portanto fiel aos fatos e acontecimentos da época.

Outro recurso importante utilizado por Tolstói é a repetição de situações com retomadas e retornos a fatos complementares. Após alguns capítulos, o autor explica e retoma os contextos. Por isso, leitores, não se apressem e nem se confundam, só permitam que a história cumpra seu curso.

Lido ainda no 2º grau, Guerra e Paz é um convite a mergulhar no mundo particular e humano dos poderosos e conquistadores, cheios de contradições e loucuras. Acredito que o melhor dos livros de História Geral jamais conseguiria explicar as últimas guerras napoleônicas, diante do brilhantismo e sutileza de um escritor que passou seis anos de sua vida para concluí-la. 

Este livro é uma referência histórica importante, pois uma das últimas grandes disputas territoriais do maior imperador francês da História, alguém amado e odiado por muitos em toda a Europa pode ser lida e entendida aqui.

Posso afirmar que é um livro de conteúdo denso, irônico e essencial, observado do ponto de vista estratégico. Os afeitos aos temas de guerra e adoradores de jogos de sorte ou azar experimentarão curiosidade, adrenalina, altos e baixos, esperanças e paciência, acima de tudo para que consigam entender a grandiosidade deste grande homem da literatura mundial.

0 comentários: