Vestibular: Faço ou não faço?

quarta-feira, setembro 29, 2010 Marcos H. de Oliveira 6 Comments

Chega um momento na vida em que você olha pra família da vizinha (sorrindo feliz echeia de dentes brancos)onde um dos filhos acabou de passar no vestibular mais concorrido do país e o irmão mais velho está dando entrada à pós-graduação, pois acabou de se formar.

Vê que todos seus colegas de turma já escolheram um curso, e os que são mais velhos já estão na faculdade, e se torna dependente e obrigado a fazer também uma escolha.
 
Aí vem a dúvida do curso, da universidade, mudar ou não de cidade e pra maioria também existe a responsabilidade de passar de ano no colégio. Você descobre que suas opções de curso são as mais concorridas, e claro que boa parte dos candidatos já estão matriculados num cursinho pré-vestibular. Pode até haver condições de pagar um também, mas entra a responsabilidade e a dor na consciência caso não seja aprovado. 

Pra completar, seus pais, familiares, e amigos só sabem falar deste assunto, quando você liga a televisão, radio, acessa redes sociais, está na manchete dos jornais, em todo lugar.

Então você para e pensa: “Por que Vestibular?”, ou ainda: “Por que esta universidade, este curso?” E "Por que agora?”

Muita gente sabe do que estou falando, essas indagações são comuns nessa fase, e com o tempo as perguntas só aumentam, mas de fato, qual será o motivo para as escolhas que fazemos em nosso dia a dia?

Você fará vestibular, para ingressar numa faculdade, por que isso é importante em sua vida, ou por que a família vizinha fez, seus pais querem, seus antigos professores querem, a sociedade toda quer?

E a universidade? Você até tem condições de pagar a mensalidade da particular, mas seu objetivo é a pública, de preferência a mais concorrida e cobiçada, e se não pode pagar, também não quer ganhar bolsa de estudos, só se realizará, quando aprovado na mais conceituada.

Quanto ao curso, será médico por que seu pai, avô, bisavô, e até a nona geração também eram ou porque é o que gosta realmente?

Fará tudo isso agora por quê? Porque todos fazem, ou realmente deseja isso o mais rápido possível?

Um turbilhão de dúvidas surge ao tentar responder essas perguntas, não é?
 
Mas saiba que não é apenas quem faz faculdade que se torna alguém na vida, pode-se recorrer a cursos profissionalizantes, cursos de idiomas, abrir o próprio negócio, e outras mil alternativas, é só procurar em sua cidade.

Vale lembrar também, que uma prova com “x” questões, não prova inteligência e grau de conhecimento pra ninguém, além de tudo isso o que conta muito é o controle emocional. 

Contudo, se depois de pensar, o tão temido vestibular for mesmo sua escolha, respire fundo, que a gente vai com você.

6 comentários:

helena. disse...

Pois é, controle emocional é tudo. Eu fui totalmente vítima dos "brancos" nos vestibulares, e olha que eu nem sou TÃO burra. hahahaha

Bruna Rafaela disse...

Só quem passou ou ainda está passando por essa fase, sabe como é. Vivemos cheios de dúvidas e dilemas. Queremos dar orgulho à nossas famílias e para nós mesmos. Passar no vestibular torna-se uma questão de honra. Queremos aprender em 6 meses ou 1 ano, conteúdos que vimos em 3 anos, temos dificuldade. E é aí que aparece o medo, a tensão, a vontade de desistir. Aliado a isso, vem a pressão psicológica - escolher a profissão. Optar por aquilo que me trará um retorno mais rapidamente ou fazer aquilo que eu gosto? Bom, EU, deixei a opinião de todos de lado e ouvi meu coração. Pois, não consigo imaginar uma pessoa que passe 4/5 anos de sua vida, sentados em uma cadeira, fazendo aquilo que não gosta, apenas por dinheiro ou simplesmente para agradar alguém. Hoje estou no 2º período de economia, posso dizer que gosto daquilo que escolhi.

Otávio disse...

Essa hora de escolher o curso e a faculdade é bastante complicada, fiz orientação vocacional mas só me deixou mais confuso.As dúvidas tomam conta de nós. Escolhi meu curso quase nos últimos dias de inscrição e sei que fiz a escolha certa.

Magda disse...

Realmente,é uma fase difícil e se torna mais ainda quando as pressões externas são intensas! rs (O vizinho ou parente que fica se "vangloriando" dos feitos das "crias" ou até mesmo os próprios pais que ficam utilizando exemplos "de sucesso" pra fazer chantagem com os pobres filhos pré-vestibulandos). Vivi um pouco disso... e acredito que só não viveu quem ainda não foi pré-vestibulando! rs

andrezinho disse...

pra mim foi dificil p\fazer um vestibular fiquei 2 anos sem estudar ai coloquei na cabeça tinha que entra numa faculdade,eu fiz vestibular sem se preparar conseguir entrar na faculdade agora estou terminando faculdade curso superior de tecnologo em gestão Ambiental .andre macedo moraes

Terminei meu ensino médio no ano de 2004. Tinha 18 anos na época e nem de longe passava pela minha cabeça a idéia de entrar numa universidade, pois meu foco era terminar o ensino médio e trabalhar. E foi o que eu fiz por 3 anos.
Num belo dia, no ano de 2007, meu primo me falou sobre o pré vestibilar Em Ação, um cursinho gratuito que atende pessoas de baixa renda que desejam se preparar para o vestibular. Pensei 'por que não?', pois precisaria me preparar, e como não tinha condições de pagar mensalidade, lá fui eu ao Em Ação. Consegui entrar no extensivo do Em Ação do ano de 2007. No decorrer do cursinho escolhi pelo curso de Gestão da Informação na UFPR, e fui me preparando para o vestibular daquele ano, indo às aulas nos fins de semana e feriados desde março até novembro. Porém naquele ano não consegui passar no vestibular, mesmo tendo estudado o ano todo.
Fiquei feliz por ter visto vários amigos meus sujos de lama por terem sido aprovados, mas fiquei triste e com raiva por não ter passado. Mas como aquilo era um objetivo, não desisti.
Em 2009 tive uma nova oportunidade de fazer o Em Ação, estudei de novo e mesmo já sendo um pouco mais velho que a maioria das pessoas, estava com 23 anos, não me deixei abater por isso. Me esforcei o máximo que pude. Me dediquei integralmente aos estudos, o ritmo era de segunda à segunda e fui à guerra do vestibular da UFPR novamente. Resultado: passei em 5º lugar geral do curso de Gestão da Informação, hoje estou no 2º período do curso e tenho certeza que acertei na escolha.